Nossa História

  • Nasce a sociedade civil de utilidade pública "Pioneiras Sociais"

    1956.jpg

  • Inauguração do Centro de Reabilitação Sarah Kubitschek

    Com o objetivo de dotar Brasília de moderno centro de reabilitação, a Fundação das Pioneiras Sociais implanta, na nova capital, um centro de reabilitação, inaugurado, em 21 de abril de 1960, pelo Presidente Juscelino Kubitschek.

    1960.jpg

  • As origens do projeto SARAH

    Aloysio Campos da Paz Júnior é convidado para dirigir o Centro de Reabilitação Sarah Kubitschek e nele desenvolver as ideias que surgiram do seu treinamento em Oxford. Surge o embrião do Conselho Comunitário, para dar apoio político ao futuro projeto.

  • Ampliação do Centro

    O Centro de Reabilitação, ampliado e adaptado, funcionando também como hospital cirúrgico com 66 leitos, atende não só a Brasília como às populações das Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do País.

  • Aprovação do projeto

    A Secretaria de Planejamento da Presidência da República e o Ministério da Saúde aprovam o projeto que prevê um futuro hospital. Além dos programas de tratamento, este centro formará recursos humanos, desenvolverá técnicas e equipamentos e coordenará, no futuro, uma rede nacional de hospitais em sua especialidade.

  • A formação da equipe

    Inicia-se a formação de novos profissionais que irão viver os ideais do SARAH, consolidando a implantação da Rede, no futuro.

    1977.jpg

  • Trabalho em tempo integral e dedicação exclusiva

    O Centro de Reabilitação inaugura novo tempo nas relações de trabalho:

    Extingue-se a dupla militância — caracterizada pelo trabalho do mesmo profissional, no setor público e no setor privado —, desaparecendo, como consequência, o conflito de interesses daí gerado.

    Inicia-se uma relação de trabalho em tempo integral e, posteriormente, com dedicação exclusiva à instituição.

  • Inauguração do SARAH

    Em 12 de setembro, o SARAH torna-se realidade e é inaugurado pelo Presidente da República.

    1980.jpg

  • Aprovação da lei: Contrato de Gestão

    Em 25 de junho, é aprovado no Congresso Nacional, o projeto de lei que transforma a antiga Fundação em Associação das Pioneiras Sociais, que irá viabilizar a expansão da Rede SARAH.

    Em 27 de dezembro, a União Federal e a Associação das Pioneiras Sociais assinam o primeiro Contrato de Gestão do Brasil, que será fiscalizado pelo Tribunal de Contas da União.

    O Conselho de Administração, formado inicialmente por membros do Conselho Comunitário da Fundação das Pioneiras Sociais, que se extingue, preside as decisões da nova Associação.

  • Ampliação da Rede - SARAH São Luís

    A Rede SARAH expande as suas atividades, inaugurando uma unidade em São Luís no Maranhão, para começar a atender a população no norte do Brasil.

  • SARAH Salvador

    Lúcia Willadino Braga é eleita diretora da Rede SARAH pelo Conselho de Administração. Prosseguindo a expansão, mais uma unidade é inaugurada — o SARAH Salvador, no Estado da Bahia.

  • SARAH Belo Horizonte

    A unidade da Rede em Belo Horizonte, estruturada a partir do antigo Hospital das “Pioneiras”, é ampliada e equipada com tecnologia de ponta, visando ampliar o atendimento da Região Sudeste.

  • Projeção internacional

    Nas comemorações de seus 450 anos, a Universidade de Reims Champagne-Ardenne, na França, concede à Dra. Lúcia Willadino Braga, que desde o início de sua vida profissional trabalha na Rede SARAH, o título de Doutor Honoris Causa.

  • The Year 2000 Conference on Brain Injury

    Já reconhecida internacionalmente como centro de produção de conhecimento e pesquisa, a Rede SARAH recebe, em Brasília, o congresso da International Brain Injury AssociationThe Year 2000 Conference on Brain Injury.

  • SARAH Fortaleza

    É inaugurada a primeira unidade voltada exclusivamente para a Neurorreabilitação: o SARAH Fortaleza.

  • 24th Annual Mid-Year Meeting - International Neuropsychological Society

    A Rede SARAH recebe em Brasília a 24ª Conferência da Sociedade Internacional de Neuropsicologia, 24th Annual Mid-Year Meeting e amplia o intercâmbio com os mais importantes centros de pesquisa mundial.

  • SARAH Ilha da Pombeba - Rio

    Inicia-se o funcionamento do Centro de Reabilitação Infantil, na Ilha da Pombeba, no Rio de Janeiro. Este evolui, com a inauguração do Centro Internacional de Neurociências e Neurorreabilitação, para a prática de esportes em contato com a natureza e reabilitação neurocognitiva.

  • 1st International Congress on Neurosciences and Rehabilitation

    O Centro Internacional de Neurociências no Lago Norte sedia o 1º Congresso Internacional de Neurociências e Reabilitação.

    2004.jpg

  • Método SARAH

    É relatado um novo método de neurorreabilitação desenvolvido no SARAH, com resultados científicos comprovados; uma abordagem que incorpora a família e o contexto de cada pessoa, no processo de neurodesenvolvimento. Todo o princípio é valorizar o que existe e não o que foi perdido. Este método passa a ser implantado internacionalmente, sendo adotado em diversos países.

    2005.jpg

  • SARAH Macapá

    É inaugurada a unidade de neurorreabilitação, em Macapá, usando a metodologia criada no SARAH e difundida internacionalmente: um projeto voltado para o atendimento da criança e da família.

  • SARAH Belém

    Implanta-se uma nova unidade voltada para a criança com paralisia cerebral, expandindo, assim, o modelo que já se consolidava em diversos outros países.

  • 5th World Congress for NeuroRehabilitation

    A Rede SARAH sedia o 5º Congresso da Federação Mundial de Neurorreabilitação com a participação de representantes de 74 países: o 5th World Congress for NeuroRehabilitation.

  • Centro Internacional de Neurociências e Neurorreabilitação - Rio de Janeiro

    Inaugura-se o Centro Internacional de Neurociências e Neurorreabilitação, no Rio de Janeiro, concretizando-se o ideal que começou com a implantação do Centro de Reabilitação Infantil, na Ilha da Pombeba.

  • Olhando para o futuro

    No tempo, a Rede vem se transformando e precisa evoluir continuamente, elaborando e contemplando novas descobertas científicas, as ideias trazidas pelas novas gerações e os avanços tecnológicos, desde que os princípios que viabilizaram a trajetória sejam preservados. Este é o patrimônio maior que a instituição transmite para o futuro.

    OlhandoParaOFuturo.jpg