A Rede SARAH

A Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação é mantida pela Associação das Pioneiras Sociais (APS), órgão instituído pela Lei nº 8.246/91, de 22 de outubro de 1991. Hoje é constituída por nove unidades,  localizadas em diversas capitais brasileiras, que realizam mais de 19 milhões de procedimentos por ano. Tem por meta devolver ao cidadão brasileiro os impostos pagos por meio de atendimento público de alta qualidade, com tecnologia de ponta e humanismo, alcançando todos os níveis da população.

Na execução de suas atividades, são objetivos estratégicos:

  • Prestar assistência médica e de reabilitação, de excelência e gratuita, nas áreas neurológica e ortopédica;
  • Desenvolver programas de formação e qualificação para estudantes e profissionais de outras instituições e manter programas de educação continuada para profissionais;
  • Exercer ação educacional na sociedade visando prevenir a ocorrência das principais doenças atendidas na Rede SARAH;
  • Desenvolver pesquisa científica.

Unidades da Rede SARAH

As capitais brasileiras que contam com unidades da Rede SARAH são:

Brasília (DF), onde estão localizados o SARAH Centro, primeira unidade da Rede, e o Centro Internacional de Neurociências e Reabilitação, o SARAH Lago Norte, voltado para pesquisa científica, desenvolvimento de novas tecnologias e cooperação internacional.

Salvador (BA), onde, além da unidade de reabilitação, existe um centro de tecnologia para produção de equipamentos hospitalares utilizados nas unidades da Rede.

São Luís (MA), que possui ainda um centro comunitário aberto à integração entre os pacientes e a população local.

Belo Horizonte (MG), onde foi inaugurada a primeira unidade da região Sudeste.

Fortaleza (CE), onde existe outra unidade voltada para reabilitação de adultos e crianças na região Nordeste.

Rio de Janeiro (RJ), que possui o Centro Internacional SARAH de Neurorreabilitação e Neurociências, dedicado a reabilitação cognitiva, prática de esportes e integração com a natureza. 

Macapá (AP) e Belém (PA), onde a Rede SARAH possui dois postos avançados, que atendem a população da região Norte, especializados em reabilitação de crianças e adolescentes.

Reabilitação e Assistência 

Na Rede SARAH, a terapia de reabilitação não está restrita apenas ao ambiente hospitalar. Para uma abordagem eficaz, é necessário ter como objetivo que cada momento do paciente, ao longo do dia, possa ser organizado para estimular seu desenvolvimento.

Tradicionalmente, o enfoque dos programas de reabilitação costuma voltar-se para a avaliação das perdas funcionais decorrentes de acidente ou doença. Na Rede SARAH, no entanto, atua-se na potencialização das funções preservadas. A elaboração dos programas de reabilitação é determinada pelas capacidades que permaneceram, ou seja, visa habilitar novamente. Busca permitir o alcance de um objetivo funcional, independentemente da maneira como o indivíduo o faça. A atuação da equipe de reabilitação concentra-se predominantemente no que é possível conseguir e não naquilo que se deixou de fazer.

O aprimoramento do conhecimento das funções do cérebro e de seu desenvolvimento, os progressos na neuroimagem e na ciência da computação, além de ampliarem o espectro diagnóstico e de procedimento cirúrgico, permitem identificar, com grande precisão, a localização de lesões e as estruturas responsáveis por funções cognitivas, motoras e pela emoção. Todo esse conjunto de conhecimento integra, de maneira simplificada e humanizada, o programa de reabilitação de cada sujeito.

Neuropsicólogos, médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, professores, nutricionistas, fonoaudiólogos, além de outros profissionais, atuam para vencer o desafio que é trabalhar com pais, familiares e outras pessoas envolvidas no cotidiano do paciente, para tornar possível que ele retorne à sua casa, viva no seio de sua família e de seus amigos, inserido em sua comunidade.

A família, os amigos e pessoas importantes na vida do paciente irão trabalhar em cooperação com a equipe técnica, auxiliando a integração do paciente na comunidade no momento em que ele deixa uma unidade da Rede SARAH.

Trata-se, portanto, da subversão do conceito tradicional de Reabilitação, em uma vertente de vanguarda, a Reabilitação Ecológica. Nesta nova ótica, insere-se a interação da criança com a família, do jovem com seu grupo, do idoso com suas áreas de interesse, entre outras.