Acidentes de trânsito

Os Acidentes de Trânsito foram responsáveis por 47,6% do total de internações por Causas Externas na Rede SARAH.

Os acidentes foram classificados em seis categorias de meios/modos de locomoção:

1) Automóvel, Utilitário ou Caminhonete;

2) Caminhão ou Ônibus;

3) Motocicletas;

4) Bicicletas;

5) A pé; e

6) Outros meios/modos.

Caracterização dos pacientes

Os pacientes investigados caracterizaram-se por serem, em sua maioria, jovens e adultos jovens, homens (74,6%), solteiros (64,4%) e residentes em área urbana (73,5%).

O predomínio do sexo masculino entre as vítimas de Acidentes de Trânsito é um traço fortemente característico desse tipo de acidente. Na faixa etária de 20 a 29 anos observou-se a proporção de 4 homens para cada mulher.

Distribuição dos pacientes vítimas de acidentes de trânsito, segundo faixa etária na ocasião do acidente (%)

A maior incidência isolada de casos de lesões decorrentes de Acidentes de Trânsito ocorreu na faixa de 20 a 29 anos, sendo que a maioria dos pacientes investigados acidentou-se entre os 20 e os 39 anos (62,8% dos casos), faixa etária que engloba os jovens e os adultos jovens. A idade que os pacientes possuíam na ocasião da lesão variou de 4 meses de vida a 71,3 anos, tendo-se registrado a idade média de 29,0 anos (desvio padrão de 12,3 anos).

Distribuição dos pacientes por tipo de resgate (%)

Entre as vítimas de Acidentes de Trânsito admitidos para internação pelos hospitais da Rede SARAH, 74,1% foram resgatados no local do acidente por equipes especializadas. Os resgates não-especializados tiveram como padrão, de acordo com o relato dos pacientes, o socorro por transeuntes ou outras pessoas envolvidas no acidente.

 

 

Caracterização dos acidentes

Solicitados a identificar a(s) causa(s) do acidente ocorrido, a maior parte dos entrevistados (74,9%) atribuiu o acidente sofrido a comportamentos e atitudes humanas, isto é, responsabilizou-se majoritariamente o condutor do veículo em que se encontrava o paciente, ou a si mesmo (quando o paciente era condutor ou pedestre), ou ainda o condutor de outro veículo envolvido no acidente. Apenas 16,0% das respostas indicaram algum aspecto da via como causa do acidente, e um número ainda menor (5,5%) citou problemas de deficiência mecânica do veículo (como estouro de pneus, perda de freios etc.).

De acordo com os pacientes, em 72,2% dos acidentes verificados não houve consumo de bebida alcoólica, em qualquer quantidade, por nenhum dos envolvidos. O consumo de álcool antes do acidente foi admitido por 27,8% dos condutores ou pedestres.

Distribuição dos pacientes por dia da semana em que ocorreu o acidente (%)

Quase a metade (45,9%) dos acidentes em análise ocorreu no sábado e domingo, distribuindo-se os acidentes restantes de modo equiparado pelos demais dias da semana.

Distribuição dos pacientes por motivo de deslocamento na ocasião do acidente (%)

O principal motivo do deslocamento dos pacientes na ocasião em que ocorreram os acidentes foi o lazer (60,8% dos casos), coincidindo com a maior ocorrência nos fins de semana. Deslocamentos motivados pelo trabalho foram verificados em 29,2% dos acidentes de pacientes admitidos pela Rede SARAH.